Entenda porque o piso laminado não é o ideal para pets

Os pets já são parte da família, não é mesmo? Tanto que sempre pensamos na melhor forma de deixá-los confortáveis dentro e fora de casa. Aliás, uma das maiores preocupações que recebemos é em relação ao piso – afinal, piso laminado e cachorro ficam em harmonia?

Conhecendo este questionamento nós tomamos a frente para esclarecê-lo, uma vez que nos preocupamos com o bem estar não só dos cachorros mas também dos outros pets como gatos, coelhos e outros animais domésticos.

Inclusive, o piso laminado não apresenta boa resistência à umidade, isso porque ao deixar algum líquido secar naturalmente, o local fica com manchas. E se for urina de pet, o piso fica com um odor indesejável que se alastra pelo cômodo.

Então, se você tem um pet filhote, as chances de encontrar inúmeras manchas pela casa é muito grande, visto que eles estão marcando território e fazem xixi pela casa inteira, não é verdade? E mesmo que você coloque apenas em um cantinho, aquele local em específico, ficará manchado e absorverá o forte odor.

E isso não é interessante, já que esperamos que o piso dure muito e resista ao uso do dia a dia, tanto dos humanos quanto dos bichinhos. Sendo assim, vamos entender qual o melhor piso para uma casa com pets!

Como saber que o piso não é adequado para pets

Se o seu pet escorregou para correr ou para dar a próxima passada, esse piso está reprovado para a saúde dos pets! Aliás, ser escorregadio é uma das características dos pisos laminados, então, já adiantamos que ele não é a melhor opção para seu pet.

Isso se deve ao fato do piso escorregadio exigir que os animais façam mais movimentos até atingir o equilíbrio. Consequentemente, esse trabalho excessivo na mobilidade promove um grande cansaço em seu corpo e pode ser a causadora de problemas como a displasia.

Pense bem: se seu pet precisar fazer três ou quatro vezes o mesmo movimento até pegar impulso para pegar a bolinha, correr atrás da coleira ou recepcioná-lo quando chegar do trabalho, o quão desgastada suas articulações não ficarão?

Imagine se fosse conosco, seres humanos. Com certeza trocaríamos o piso para um que nos permitisse correr livremente.

Displasia canina: uma das consequências dos pisos escorregadios

A displasia pode ocorrer no seu pet de duas formas. A primeira é congênita, que é a geneticamente herdada, e a segunda é a adquirida, em o ambiente e as ações influenciam na saúde corporal.

Dito isso, a displasia adquirida é uma das doenças que afetam os cães de médio e grande porte quando eles vivem em casas e apartamentos onde os pisos são escorregadios. Lembra do excesso de esforço e movimentação? Então, isso causa um desgaste nas articulações.

Fique atento a cinco sintomas da displasia canina:

1. Mancar: veja se as passadas do pet estão dessincronizadas, forçando mais uma pata do que a outra;

2. Dores no quadril: observe se, na hora da brincadeira, exatamente quando pega no quadril o cão ele geme, grunhe ou late;

3. Membros abertos: essa posição alivia as dores, por isso fique atento se, ao sentar, as patas ficam abertas;

4. Quedas: repare se ao caminhar seu pet cai abruptamente, este também é um dos sintomas;

5. Andar torto: cambalear, rebolar ou mudar a forma habitual de andar é uma dos sintomas da displasia.

A qualquer sinal de anomalia no comportamento do pet, leve-o ao veterinário para melhores diagnósticos, mas lembre-se: este desgaste físico do seu pet pode ser evitado com o piso ideal para seu bem estar.

Piso ideal para casas com pets: piso vinílico

O piso ideal para os pets são os vinílicos, uma vez que proporcionam firmeza, estabilidade e impulso ao levantar, correr e parar. Sendo assim, revista todo o espaço interno da sua casa com este tipo de piso e garanta a saúde do seu pet.

Um dos pontos mais importantes que vale ressaltar é que o piso vinílico absorve os barulhos das patas, sendo esta a opção perfeita para quem mora em apartamento. Assim você não precisa atender reclamações de vizinhos sobre seus pets. Além do mais, sua aplicação é fácil, sendo possível colocá-lo por cima de pisos pré-existentes.

Características do piso vinílico

Claro que não podemos deixar de falar com detalhes deste piso, concorda? Afinal, precisamos saber como decorar um ambiente com elegância sem abrir mão do conforto dos animais.

Estilo para todos os ambientes da casa

O piso vinílico é encontrado em diversas padronagens, para citar algumas: concreto queimado, madeira, chevron e muitos outros. Sendo assim, seu design não compromete o estilo do ambiente e valoriza a decoração como um todo. Veja alguns dos designs mais conhecidos:

Concreto queimado

O estilo industrial com algumas influências contemporâneas é o que está no auge, isso porque o concreto queimado é um estilo imponente, icônico e combina muito bem com a decoração da casa como um todo, já que é neutro.

Madeira

O piso vinílico clássico, a padronagem em madeira é uma das conhecidas. Aliás, uma das maiores vantagens desse design é conseguir um efeito rústico sem precisar aplicar madeira.

Chevron

Se você gosta de ambientes diferenciados saiba que o vinílico com design chevron permite pisos inovadores, afinal, você ”brinca” com as padronagens e transforma o ambiente sem muitos esforços.

Espessura

Outra característica deste modelo de piso é sua espessura. Essa característica permite que você escolha modelos mais espessos para áreas de grande circulação, bem como modelos mais finos para locais onde não há grande fluxo.

Como conservar piso vinílico

Para limpar basta usar uma flanela úmida, assim, você já consegue tirar todas as sujeiras acumuladas, poeiras e fios de cabelo. No momento da instalação do piso, use colas profissionais e faça o acabamento com exímio, para que assim, não haja infiltração entre as placas, mantas e réguas.

Gostou do conteúdo? Agora, você já sabe qual o melhor piso para seu pet. Continue acompanhando o blog da Webber e aprenda tudo sobre acabamentos. Então, aproveite para inspirar com os revestimentos para parede de cozinha.

Nos vemos no próximo post!

 

Deixe um comentário