Entenda a diferença entre porcelanato, cerâmica e gresalato!

Só quem já viveu uma obra sabe como as dúvidas são frequentes nesse período. Cada decisão precisa ser tomada em meio a inúmeras possibilidades e o medo de errar está sempre confirmado nessa aventura, principalmente quando pensamos em revestimentos.

Cada ambiente da casa pede um tipo de revestimento que combine mais com a futura decoração, além, é claro, do papel que ele desempenha no humor daquele espaço.

E para te ajudar em em uma tomada de decisão mais assertiva o possível, a Webber responde as famosas perguntas: “Qual a diferença entre porcelanato e cerâmica? E onde entra o gresalato nessa conversa?” Venha conferir!

Mas afinal, qual a diferença entre porcelanato, cerâmica e gresalato?

Essa é uma dúvida muito popular no mundo do revestimento, e não é à toa, afinal, esses são revestimentos muito semelhantes, principalmente em seu aspecto visual. A real diferença aqui está na fabricação de cada material.

A cerâmica convencional é produzida a partir da mistura de argila e outros minerais, com queima em torno de 850 ºC, e que oferecem um resultado estético muito bonito. Quando falamos de absorção de água, um fator que está diretamente ligado a resistência do produto, a cerâmica fica em último lugar. Quanto menor o percentual de absorção de água, melhor. No caso da cerâmica, é o produto com maior absorção de água, por isso prefira utilizá-lo em áreas menos molhadas! Ah, não podemos esquecer de citar o ótimo custo benefício deste produto.

O porcelanato é composto por uma combinação de porcelana com materiais nobres, e no caso desse revestimento, a queima pode chegar até 1200 °C, garantindo assim muito menos porosidade e um baixo nível de absorção de água – de até 0,5%. Quanto maior a temperatura de queima, maior é a resistência do material, então entre um piso cerâmico e um porcelanato, o porcelanato ganha no quesito durabilidade!

Por fim, mas não menos importante, temos o gresalato, também conhecido como “o piso cerâmico com jeito de porcelanato!”. É uma alternativa de menor preço e com alto nível de durabilidade também, que pode substituir bem o porcelanato quando o assunto é economia. Sua absorção de água fica entre o porcelanato e a cerâmica, e, assim como o porcelanato, é um produto muito resistente também. Ele é o produto intermediário!

É importante frisar que um material não é superior ou inferior ao outro. A forma mais inteligente de escolher nessa situação é entender qual a função de cada área da casa que será revestida e encontrar a melhor opção que responda a essas necessidades. E antes de fazer essa escolha, é importante entender 3 aspectos decisivo para aplicar porcelanato, cerâmica ou gresalato na sua casa:

1. Acabamento

O acabamento estético do porcelanato – e do próprio gresalato – é mais liso e homogêneo se comparado à cerâmica. Inclusive, a versão “brilho” (polido) dele é a mais utilizada nos espaços internos em residências onde o foco é a sofisticação e o aspecto clean. Se você busca um produto com aspecto sofisticado, porcelanato – e em alguns casos também o gresalato – é a melhor opção para você!

Não podemos deixar de falar aqui que os pisos e revestimentos em cerâmica possuem um ótimo acabamento e estética também!

2. Manutenção e Limpeza

Também pensando em expectativas e necessidades diferentes de cada espaço da casa, a manutenção e a limpeza também são aspectos que precisam ser levados em consideração durante essa escolha. Por ter uma superfície mais lisa e impermeável, o porcelanato ou o gresalato podem ser limpos com um simples pano úmido com água e detergente apenas, algo que deixa a higienização do dia a dia mais prática – e que pode ser um fator decisivo para ambiente de alta movimentação!

Com uma textura mais característica e proeminente, o revestimento cerâmico exige um tipo diferente de manutenção, mas nada muito fora do comum, principalmente se o espaço onde ele foi colocado for interno na casa. Vassouras, aspirador de pó e panos úmidos já dão conta do recado!

Confira também em nosso blog duas dicas rápidas para tirar arranhado de porcelanato!

3. Preço

Esse é um fator que acaba se tornando muito decisivo na maioria das obras, e entendemos perfeitamente a razão, afinal, escolhas difíceis precisam ser feitas respeitando o limite de orçamento.

Por isso é tão importante conhecer bem os diferentes tipos de revestimento, para que a tomada de decisão seja o mais assertiva possível.

No quesito preço, nós já comentamos por aqui que o porcelanato costuma ser o mais caro mesmo, e muito desse valor embutido nele vem por conta de suas características de durabilidade, facilidade na manutenção e apelo estético.

Já no caso da cerâmica, esse valor costuma ser mais reduzido, pois seu processo de produção é mais econômico, tanto na preparação, quanto nos materiais envolvidos.

E como uma alternativa que mora no meio termo entre as opções mais caras e mais baratas do mercado, temos o gresalato, que é feito em cerâmica mas tem uma semelhança estética e de durabilidade muito próxima ao porcelanato, oferecendo assim uma nova alternativa para seu orçamento.

Para mais dicas sobre como economizar na sua obra, confira outros materiais aqui no blog da Webber!

Como foi possível analisar no conteúdo de hoje, as principais diferenças entre o porcelanato, a cerâmica e o gresalato são características de manutenção, resistência, estética e preço, e todas elas podem ser vantagens ou desvantagens para sua obra, tudo vai depender do tipo de ambiente e da sua expectativa sobre o desempenho daquele material.

Compare as opções e escolha a que você mais se identifique e que caiba melhor no seu bolso Afinal, todas as opções que falamos por aqui hoje são de ótima qualidade e com certeza deixarão o seu ambiente ainda mais lindo!

Aqui no blog da Webber sempre trazemos conteúdos como este. Continue navegando por nossa página e confira dicas sobre construção civil, acabamentos e decoração em geral! Já que você está pesquisando sobre revestimentos, que tal conhecer nosso texto sobre as melhores ideias de revestimento para cozinha? Te esperamos por lá!

Deixe um comentário